Blog ImpulseUP

Como o Mapeamento de Competências Impacta nas Normas de Qualidade

As empresas cuja gestão de qualidade é certificada pelo ISO 9001 devem ficar atentas às atualizações que passam a ser exigidas a partir de setembro de 2018.

As organizações que querem manter ou conquistar o reconhecimento internacional precisam se adequar às novas regras, e um dos assuntos tratados no documento é o mapeamento de competências. É dele que vamos tratar neste artigo.

O item 7.2 aborda a competência da ISO 9001:2015. Ele traz algumas normas obrigatórias para que as empresas forneçam informações que evidenciem os controles do requisito.

Portanto, não basta somente implantar uma gestão de qualidade que atenda às competências, é necessário comprovar que o tema é levado a sério pela companhia. Para isso, o mapeamento é uma ferramenta incrível.

O que é Mapeamento de Competências?

De uma forma bem prática, vamos explicar o que é mapeamento de competências da seguinte maneira: assim como as empresas possuem a sua missão, visão e valores, as organizações também têm de ter as suas competências bem claras.

Porém, enquanto essas três primeiras características se referem ao perfil da companhia, a competência tem a ver com a postura individual do funcionário. Mapear as competências nada mais é do que identificar os atributos que o colaborador deve ter para se encaixar em determinada área de atuação.

Quando você mapeia as competências para as funções do setor, poderá saber o que realmente esperar dos seus colaboradores, além de facilitar muito a contratação, promoção e redistribuição das funções.

O que diz a ISO 9001:2015

O item 7.2 é formado por quatro letras que designam como a organização deve proceder em relação às competências. Conheça:

Letra A

A empresa é quem deve “determinar a competência necessária da(s) pessoa(s) que realize(m) trabalho sob o seu controle que afete o desempenho e a eficácia do sistema de gestão da qualidade”.

A organização deve observar três categorias: conhecimento para a execução das suas tarefas com qualidade; habilidade de executar na prática o que lhe foi estipulado; e atitude para realizar seu trabalho com qualidade, eficiência e eficácia. É o famoso CHA.

Letra B

A organização tem que “assegurar que essas pessoas sejam competentes, com base em educação, treinamento ou experiência apropriados”.

A letra B traz uma questão interessante. Apesar da ISO 9001:2008 tratar de competência, ela exigia que os cargos fossem preenchidos por pessoas que ostentassem os três pré-requisitos: educação, treinamento e experiência.

Isso dificultava um pouco a avaliação, pois nem sempre quem tem experiência tem a formação acadêmica. Logo, a versão atualizada traz a conjunção “ou”, que permite que um colaborador tenha uma aptidão, sem necessariamente ter as demais.

Letra C

A empresa deve “onde aplicável, tomar ações para adquirir a competência necessária e avaliar a eficácia das ações tomadas”.

Em relação a essa letra, podemos afirmar que o contratante pode promover cursos, capacitações e treinamentos para que o seu funcionário desenvolva as competências necessárias e faça sua carreira dentro da organização.

Powered by Rock Convert

Letra D

A companhia tem que “reter informação documentada, apropriada como evidência de competência”.

A ISO 9001:2015 traz de forma bem notória a necessidade de documentar todo o processo de gestão de qualidade, desde a sua implantação até as transformações mais recentes.

Isso faz parte do capital organizacional e memória da empresa e serve de parâmetro para que a comissão de avaliação da ISO certifique o item competências.

Como fazer o mapeamento de competências

Se você quer tornar a sua empresa mais competitiva, eficaz e eficiente tem que fazer um mapeamento de competências. Montamos um passo a passo prático e objetivo para você fazer um, sem perder o foco no que diz o ponto 7.2 da ISO 9001:2015.

Monte padrões de alta importância

O primeiro passo para fazer o mapeamento de competências é eleger padrões de alta importância que se aliem aos objetivos estratégicos da sua empresa em geral, como qualidade, criatividade, inovação entre outros. Eles serão o ponto de partida para o desempenho dos colaboradores.

Referencie funcionários

Utilize como referência os melhores colaboradores de cada setor. Identifique em cada um deles as características profissionais que mais colaboram com a produtividade e baseando-se nisso, comece a pensar nas competências de cada cargo, que podem ser inúmeras, entras elas:

  • pontualidade
  • comunicação
  • autonomia
  • autoconfiança
  • determinação
  • liderança
  • paciência
  • ética
  • relacionamento interpessoal
  • observância das regras.

Elabore uma descrição de cargos

Formalize por escrito as atribuições, responsabilidades e demais requisitos de cada posto da sua organização. Esse documento fundamentará não só o setor de RH, como te ajudará a fazer o mapeamento de competências.

Discuta o mapeamento

Realize reuniões e convoque as equipes para participarem da elaboração do mapeamento de competências. A primeira parte pode ser feita em larga escala por meio de uma pesquisa quantitativa, com um questionário aplicado a todos os colaboradores sobre as competências necessárias para os seus cargos.

Em seguida, empregue uma pesquisa qualitativa para um menor público sobre as competências requeridas.

Divulgue as competências

Para executar bem as suas funções, um funcionário precisa saber o que a empresa espera dele. Portanto, divulgue o seu mapeamento de competências por setor ou equipe.

Desta forma, o colaborador vai procurar desenvolver as aptidões e você terá respaldo para tomar decisões internas como transferências, demissões e promoções.

Quais os benefícios para a gestão de qualidade

Ter um mapa de competências é uma premissa para conquistar uma gestão de qualidade legítima. Se a sua empresa já tem, deseja manter ou conquistar o certificado da ISO 9001:2015, investir nessa iniciativa é crucial para o reconhecimento da Organização Internacional de Normalização.

Além disso, quando os funcionários sabem exatamente o que o contratante espera deles, fica muito mais fácil se desenvolver e se capacitar para fazer uma carreira duradoura.

Isso é bom para ambos os lados, pois a empresa também ganha com profissionais especializados e notáveis.

E aí, está esperando o que para começar a desenvolver um mapeamento de competências?

Como o Mapeamento de Competências Impacta nas Normas de Qualidade
5 (100%) 3 votes

Deixe um comentário

Felipe Batalha

Felipe Batalha

Sou formado em engenharia pela UNB, mas atuo na área de Recursos Humanos há mais de 5 anos. Descobri que a gestão de pessoas é a principal competência para o crescimento de um profissional. E, por isso, me aprofundo em estudos sobre Avaliação de Desempenho, PDI, NineBox, People Analytics e muito mais.