Blog ImpulseUP

Gestão do conhecimento em RH: qual a importância?

Grandes empresas já entenderam que a chave para se manter no mercado competitivo é produzir, aplicar e reter conhecimento. Essas, dentre outras, são fases essenciais do processo chamado de gestão do conhecimento.

Esse conceito é aplicável a todas as áreas da empresa, inclusive no RH. Você já mapeou quais as competências e conhecimentos que os funcionários da organização possuem? Você sabe dizer quais as informações e processos de trabalho mantidos na equipe de gestão de pessoas?

Se seu time de RH precisa saber mais sobre Gestão do Conhecimento e qual a importância de utilizá-la, continue lendo este artigo!

O que é gestão do conhecimento?

Gerir conhecimento é produzir, identificar, aplicar e organizar as informações produzidas pelos membros de uma organização. Dessa forma, pode-se garantir que esses conteúdos permanecerão na empresa e serão passados à frente, para outros funcionários.

Desde o simples funcionamento de um fluxo de trabalho ao uso de uma ferramenta de automação, os conhecimentos devem ser identificados e avaliados quanto ao papel no desenvolvimento da instituição. Assim, o andamento dos processos não ficam dependentes das competências de uma pessoa só.

Um bom exemplo de ação de GC é o mapeamento de processos. Ela ajuda a criar padrões e otimizar as atividades de uma instituição ao diminuir os ruídos entre uma tarefa e outra. Assim como, se um funcionário se ausentar, o substituto poderá cumprir as funções com ajuda do mapa.

Quais as vantagens?

Como mencionado, a gestão do conhecimento ajuda a otimizar os processos e fluxos de trabalho de uma organização. Isso gera valor ao trabalho e evita que passos dispensáveis tomem tempo dos funcionários. Logo, eleva a eficiência e produtividade dos colaboradores.

Entenda melhor a importância!

Gestão de capital intelectual

O capital intelectual é a soma de conhecimentos e informações que estão retidas tanto no capital humano, quanto nos registros da instituição. Administrar o capital intelectual significa reter e preservar o conhecimento da empresa.

Por exemplo, se o RH sabe quais conhecimentos específicos um colaborador tem para realizar a função, ele sabe o que precisa encontrar em um próximo candidato caso aquele funcionário deixe a instituição.

Gerir o capital intelectual é identificar e utilizar o conhecimento que já está na organização. Novamente, é otimizar recursos para obter melhores resultados!

Gestão de competências

Da mesma forma, deve-se identificar as habilidades necessárias para o desenvolvimento da instituição. Assim, a equipe de Recursos Humanos consegue organizar treinamentos baseados nas necessidades das equipes, ao aproveitar o conhecimento já adquirido, e monitorar o desenvolvimento de diferentes competências de um colaborador por meio de um PDI.

A gestão do conhecimento, nesse ponto, também auxilia na elaboração de um bom plano de T&D e na manutenção da cultura de aprendizagem contínua na sua instituição.

Gestão do conhecimento em RH

Dominar ferramentas e técnicas de gestão do conhecimento estimula a busca de informações com os colaboradores. De tal forma, facilita relacionar dados relevantes para o trabalho de cada um na organização.

O gestor de pessoas deve organizar os conhecimentos e saber como conduzi-los de maneira alinhada aos objetivos estratégicos da instituição. O papel do RH nesse momento se mistura com o de gestor do conhecimento.

Agora que você já sabe o que é gestão do conhecimento, as vantagens e importância dentro de uma equipe de RH, veja como implantar em uma organização.

Como aplicar

Instituir gestão do conhecimento como cultura organizacional sendo parte das atividades do RH pode ser prático e ajudará em várias demandas da equipe. Entretanto, você deve ficar atento a alguns passos.

Construa mapas dos processos de trabalho

Com esse passo inicial é possível perceber quais conhecimentos são necessários para o desenvolvimento das atividades rotineiras da empresa. As informações ficarão organizadas de forma clara e acessível a qualquer colaborador.

Os mapas podem ser construídos pelo gesto de RH, pelo diretor da área e com a colaboração dos funcionários que exercem as funções mapeadas diariamente. É importante levar em conta a rotina da empresa e qual modelo se adequa melhor à realidade da instituição.

Invista em ferramentas

É importante procurar ferramentas que ajudem na administração dos conhecimentos identificados.

Cuidado para não juntar várias informações sem conseguir organizá-las! Isso pode dificultar o processo de aplicação do conhecimento nas atividades rotineiras.

Compartilhe informações

Estimule a troca de informações entre as áreas, inclusive, dentro da própria equipe de RH. O conhecimento deve ser coletivo e andar alinhado às metas da instituição.

Agora você já sabe o que é, quais as vantagens e como aplicar gestão do conhecimento na organização. Para continuar planejando os passos da gestão de pessoas, confira abaixo nosso eBook sobre as principais tendências do RH estratégico.

Deixe um comentário