Blog ImpulseUP

Teletrabalho: quais as competências necessárias?

Não há dúvidas que o futuro já chegou para as ações rotineiras e presenciais. Pode-se dizer que a premissa espaço-tempo foi remodelada e já não é mais critério na construção de relacionamentos e atividades corporativistas. Hoje, o chamado teletrabalho, isto é, o desempenho de atividades pelo trabalhador preponderantemente fora das dependências da empresa, já é tendência em várias organizações do mundo.

Em todos os casos, o treinamento adequado e o acesso às ferramentas designadas a esse tipo de trabalho contribuem para uma alta produtividade e um dia a dia muito mais prazeroso no desempenho das tarefas. 

De todo modo, é fundamental desenvolver competências específicas para realizar as atividades de forma remota.

Continue a leitura e descubra as competências necessárias para você ser bem-sucedido com teletrabalho!

Ser adepto à tecnologia

Quando se fala em teletrabalho, não podemos deixar de lado seus grandes aliados: automatização de processos, softwares em nuvem, softwares de conferência, compartilhamento de informações que facilitam o contato entre gestores e colaboradores, e empresas e clientes. Hoje em dia, existem ferramentas que auxiliam em todo o processo e oferecem ao usuário uma experiência tão positiva como seria se ele estivesse dentro do escritório.

De modo geral, a Internet é o grande agente tecnológico que permite que as informações trafeguem e sejam trocadas em tempo real, possibilitando assim, estreitar relacionamentos, aprofundar conhecimentos e integrar, cada vez mais, pessoas e processos, mesmo que a distância.

E lembrar que isso talvez tenha começado com o Fax e hoje temos recursos de videoconferência, colaboração e recursos de real connect como scanner, internet, e-mail, Dropbox Amazon Workspaces, Microsoft Remote Desktop, Slack, GDrive, Zoom, Hangouts, Skype, GotoMeeting, Webex entre muitos outros. 

É importante, portanto, dominar, minimamente os recursos necessários para que suas funções sejam viabilizadas da melhor maneira possível.

Senso de prioridade

Antes de qualquer coisa, é importante se organizar e desempenhar as atividades de acordo com o caráter de urgência. Afinal, quando estamos fora do ambiente de trabalho, o senso de urgência é menos aguçado já que não estamos na correria do escritório.

Uma alternativa é recorrer a aplicativos e ferramentas tecnológicas que auxiliam na organização dos seus projetos, como o Trello, Asana, Google Keep, Basecamp e outros.

Caso prefira, não abandone a boa e velha agenda de papel. Com ela, você pode criar listas diárias com aquilo que precisa fazer prioritariamente, e não se perder com suas demandas.

Se manter concentrado

Talvez uma das competências essenciais mais óbvias do teletrabalho é a concentração. Afinal, é muito fácil perder o foco acessando as redes sociais, jogando games no celular ou conversando com um amigo no WhatsApp, por exemplo. Logo, é fundamental se policiar e  ficar longe das distrações. 

Quando estamos em regime de teletrabalho, sem a supervisão dos chefes, a falta de concentração pode levar à um acúmulo de tarefas e, consequentemente, ao atraso de trabalhos ou uma correria enorme para entregar tudo em dia nos últimos minutos.

Assim, a quantidade de trabalho produzido cai, levando a um menor retorno financeiro da empresa. Nessa situação é comum que tomemos o tempo que era para descanso ou para os momentos em família para podermos colocar tudo em dia.

No entanto, é importante manter um equilíbrio entre a vida profissional e pessoal, priorizando aquilo que é mais importante e urgente no momento para que uma parte da vida não afete negativamente a outra.

O que muitos fazem para driblar a procrastinação é trocar o home office por coworkings e assim fugir desses vilões para o trabalho remoto. Isso porque estes locais geralmente contam com internet de alta velocidade, cadeiras confortáveis, mesas adequadas e ar-condicionado, elementos que compõem um clima mais profissional, ótimo para quem busca foco e rendimento no trabalho.

Gerenciamento de tempo

Um dos pontos positivos do teletrabalho é a flexibilidade para se trabalhar em horários alternativos. Existem pessoas que trabalham de manhã, outras a tarde, outras a noite e algumas até de madrugada. E tudo bem, o importante é ser produtivo de fato.

Não é porque você está no conforto de casa ou mesmo em um coworking que você não deve separar um “horário fixo” para trabalhar. Analise qual o horário que você rende mais, que é mais favorável para você, e compra-o.

Portanto, é importante gerenciar o tempo e determinar horários para o trabalho, horários para o lazer e também para as pausas. Afinal, mesmo no escritório, é comum dar uma levantadinha para ir ao banheiro, beber água, pegar um café. Esse hábito é fundamental para espairecer as ideias e seguir para a próxima tarefa.

Assim, você evita a procrastinação, o estresse e o desgaste, algo que é comum de desenvolvermos quando trabalhamos demais.

Se estiver tendo muitos problemas com tempo ocioso no trabalho, veja esse artigo: Tempo ocioso no trabalho: como preenchê-lo com PDIs?

Uma dica de gerenciamento de tempo é utilizar a técnica Pomodoro.

Automotivação

Estabelecer horários e metas diárias e semanais é uma forma de se manter motivado no teletrabalho, e evitar possíveis distrações.

A automotivação é indispensável a todo profissional. Com ela, é possível realizar as tarefas com qualidade, focar de forma assertiva no trabalho e entregar, com eficiência e agilidade, as solicitações, mesmo em meio a tantas distrações.

Uma forma de se automotivar é se recompensar a partir de pequenos resultados alcançados. Por exemplo, conseguiu terminar de planejar os treinamentos do mês? Parabéns! Então agora você pode se premiar com aquele pedaço de chocolate.

Para isso, é essencial ter acesso ao Culture code da empresa. Este, nada mais é do que o conjunto de princípios orientadores que definem como uma empresa funciona, o que ela valoriza e acredita, quais tipos de colaboradores ela busca para atingir alta performance e como ela se desenvolve.

Logo, os colaboradores devem se manter alinhados aos valores da empresa. É importante manter um time coeso e harmonioso que compartilha os mesmos propósitos. Ou seja, o ideal é que todos se envolvam com os objetivos da organização para aumentar o nível de participação, comprometimento e de relacionamento com os demais funcionários.

Para colocar em prática essa questão, há ainda a possibilidade de participar de treinamentos motivacionais à distância que são programas baseados em metas futuras, focando em desenvolver as habilidades dos profissionais e promover seu engajamento no trabalho.

Confira também: Técnicas para aumentar a motivação no trabalho

Boa comunicação

Como não há contato pessoalmente com a equipe, é sempre importante desenvolver habilidades de comunicação, mesmo que remotamente. Afinal, a comunicação é de fundamental importância já que garante que todos os colaboradores trabalhem engajados com a empresa, além de melhorar o relacionamento entre gestor e colaborador, a partir de feedbacks.

Há formas distintas que viabilizam a comunicação nesse sentido, é o caso de celulares corporativos, aplicativos de mensagens instantâneas, softwares para a realização de videoconferência (como Skype, Zoom, Hangouts), entre outros.

Conclusão

A possibilidade de realizar atividades a distância abre um novo panorama nas relações de trabalho, dando autonomia e flexibilidade aos colaboradores, sem contar a redução de custos operacionais. Por isso, o teletrabalho tem se tornado uma tendência cada vez mais incorporada por empresas e profissionais no Brasil e no mundo.

Mas para aproveitar os benefícios que o teletrabalho proporciona sem deixar que a produtividade caia, é importante desenvolver as competências necessárias para não serem atraídos pelas inúmeras distrações que seus lares oferecem.

De maneira geral, é importante ter foco, concentração e capacidade de administrar o tempo conforme as prioridades do dia, sem deixar que distrações impeçam sua produtividade. Para isso, a automotivação e o planejamento são essenciais para atender às solicitações com eficiência e agilidade.

Com as tecnologias a nosso favor, outro ponto importante é, por mais que você esteja distante fisicamente, tente não se isolar do resto da equipe. É preciso garantir um processo de comunicação eficaz entre você e a empresa. E existem inúmeras ferramentas que possibilitam esse contato.

Os gestores de RH devem entender a importância dos feedbacks constantes, da gestão de metas e dos PDIs para um teletrabalho produtivo.

Para isso, eles podem (e devem) contar com plataformas de apoio. Por exemplo, o ImpulseUP, uma solução completa de Gestão de Desempenho. Teste grátis aqui.

Claramente, o teletrabalho proporciona maior adaptabilidade de rotina e uma saudável fuga daquele trânsito até o trabalho. Mas não é por isso que ele não deve ser levado a sério, sob o risco de comprometer seu rendimento. Seguindo as dicas aqui mencionadas, é provável que você consiga alcançar uma boa produtividade, e assim, desempenhar sua função com a mesma eficácia, ou ainda melhor do que no escritório convencional.

Deixe um comentário