Blog ImpulseUP
gestão de pessoas

Gestão de pessoas: o que é, como fazer, como analisar e 5 dicas

A gestão de pessoas, há muito tempo, deixou de ser somente o conjunto de atividades burocráticas que envolviam a contratação e desligamento de colaboradores. Em um RH estratégico, o foco deve ser o desenvolvimento dos profissionais alinhado aos objetivos da empresa. Ou seja, a atividade é compartilhada entre o RH e os gestores

Os colaboradores são o maior patrimônio de qualquer empresa e o desempenho deles está diretamente ligado ao sucesso ou não de um negócio. 

Por isso, tão importante quanto recrutar as pessoas certas é investir no potencial delas. 

Neste artigo, você verá mais sobre gestão de pessoas, a sua importância em uma empresa, além de dicas para desenvolver seus colaboradores e atingir o máximo desempenho deles. 

O que é a gestão de pessoas?

A gestão de pessoas é o conjunto de processos e práticas que incluem recrutar, treinar, motivar e direcionar os colaboradores de uma empresa, otimizando a produtividade e promovendo o crescimento profissional.

Seu objetivo é organizar e alinhar as ações dos colaboradores e das equipes de forma congruente com as estratégias organizacionais. Com isso, a gestão de pessoas fornece um suporte constante aos negócios. 

Por meio dela, busca-se a construção de condições propícias ao desenvolvimento integral, tanto do indivíduo quanto dos times. Desse modo, podemos potencializar as contribuições das pessoas e garantir níveis adequados de qualidade de vida no trabalho.

Assim, a gestão deve abranger a forma como os colaboradores trabalham, além do comportamento, engajamento e crescimento enquanto estiverem na empresa. 

Então, o RH e os gestores acompanham desde o bem-estar até o desempenho de cada um dos funcionários. Por isso, é função da gestão de pessoas lidar com questões como conflitos interpessoais, treinamentos, prazos e internalização da cultura da empresa. 

Por que a gestão de pessoas é importante?

Agora que você já sabe o que é, vamos à importância da gestão de pessoas.

Para começar, é fundamental que haja o entendimento que o papel de um líder, acima de qualquer outra atividade, é cuidar de seus liderados. Gestores desenvolvem pessoas e pessoas desenvolvem empresas.

Com isso, fica claro que, ao gerir os colaboradores de maneira responsável e eficaz, além de beneficiar os próprios, essa ação também favorece a empresa em si. 

A gestão de pessoas surge da relação entre a ação do colaborador e a empresa. Essas relações são marcadas por trocas. O indivíduo deseja mantê-las justas e, ao mesmo tempo, ser retribuído pelo trabalho realizado. Isso cria expectativas nos colaboradores que podem afetar (positiva ou negativamente) a intenção de saída, a satisfação, o absenteísmo, a aprendizagem, o bem-estar, o desempenho e muitos outros fatores. 

Por isso, é importante perguntar: minha gestão de pessoas está se atentando às expectativas dos meus colaboradores? 

Profissionais satisfeitos, bem-treinados e orientados, motivados e cientes do seu papel na organização, produzem mais e, principalmente, melhor.

A longo prazo, pode-se alcançar um crescimento sustentável e constante da empresa, com bases sólidas. 

Falando em constância, quando os colaboradores sabem que a empresa se importa de verdade com o seu desenvolvimento, a tendência é a redução das taxas de rotatividade (turnover) e absenteísmo.

Inclusive, uma pesquisa conduzida pela empresa Robert Half e publicada em 2019 mostrou que o Brasil possui a maior taxa de rotatividade do mundo. 

Por isso, é fundamental que o problema seja tratado em sua raiz. Para facilitar, veja abaixo os benefícios da gestão de pessoas com mais detalhes.  

Benefícios e preocupações da gestão de pessoas

Aumento da produtividade

Conforme dito acima, quando o colaborador se sente valorizado, a tendência é que seja estabelecida uma relação de cumplicidade com a empresa. Com isso, há o aumento natural da motivação e, consequentemente, da produtividade. 

Redução do turnover

Conforme estudo realizado pelo Dieese, uma remuneração inadequada e a falta de reconhecimento por parte dos gestores aparecem como 33% entre as principais causas para que um colaborador opte por sair de uma empresa. 

Os outros dois motivos que também foram apontados com maior frequência são a desmotivação e desconfiança em relação ao futuro da companhia. Ou seja, são problemas ligados diretamente com a gestão de pessoas. 

Por isso, ao implementar ações voltadas ao bem-estar e desenvolvimento dos colaboradores, o número de demissões voluntárias tende a cair e, com ele, as taxas de rotatividade.

Redução do absenteísmo e presenteísmo

O termo absenteísmo deriva do latim absens que significa “estar ausente, afastado ou fora de algo”.

Por isso, o absenteísmo se refere à ausência ao trabalho de forma prolongada, recorrente e inesperada. Ele pode ocorrer com atestados frequentes, atrasos, demora para retorno do almoço, etc. 

Já o presenteísmo ocorre quando o colaborador está fisicamente presente no ambiente de trabalho, mas apresenta produtividade reduzida em decorrência de limitações físicas ou psicológicas.

É muito comum que ambos os fenômenos se tornem frequentes quando não há motivação com o trabalho e falta de perspectiva de crescimento.

Dessa forma, quando há uma gestão de pessoas efetiva, há também uma redução na necessidade ou desejo de se ausentar ou não realizar o trabalho. 

Como fazer a gestão de pessoas 

É importante esclarecer que não existe uma fórmula mágica para uma gestão de pessoas. Cada empresa precisa encontrar o caminho que melhor atenda às suas necessidades e realidade.

No entanto, existem alguns aspectos que, se observados, podem ajudar e muito nesse processo. São eles:

Recrutamento

Antes de trazer um novo membro para o time, é muito importante que se saiba exatamente quais são as lacunas que procura-se preencher. 

E um dos modos de conhecer a fundo os colaboradores e a própria organização é realizando ciclos constantes de Avaliação de Desempenho

Após uma análise dos talentos que a empresa já possui, fica muito mais fácil contratar as pessoas ideais para cada cargo ou função. A consequência são times mais motivados, alinhados e com melhores resultados.  

Employer Branding

Falando ainda sobre a atração de novos colaboradores, qual é a imagem que a sua empresa passa para os profissionais? 

Employer branding é o conjunto de práticas com o objetivo de garantir o reconhecimento da empresa como sendo um bom lugar para trabalhar. Diversos fatores podem caracterizar uma empresa assim, mas a valorização dos profissionais, sem dúvidas, é o principal deles. 

Neste artigo já falamos bastante sobre os benefícios da gestão de pessoas, e o employer branding está diretamente relacionado a isso.

Gestão de Desempenho

A Gestão de Desempenho é uma modalidade de gestão que abrange o alinhamento entre objetivos e estratégias da organização e o desempenho e desenvolvimento dos profissionais. Ela também envolve a produtividade e a entrega de resultados. 

E a Avaliação de Desempenho, que mencionamos no tópico sobre recrutamento, também possui um papel fundamental aqui. 

Com os resultados obtidos nas avaliações, é possível identificar pontos fortes e de melhoria, possibilitando que cada colaborador seja desenvolvido de acordo com as suas necessidades. Para isso, faça uso dos Planos de Desenvolvimento Individuais (PDIs)

E, como você já sabe, profissionais que são desenvolvidos, se mostram mais valorizados e motivados.

Por isso, não deixe de promover ações e treinamentos constantes a todos os colaboradores. 

Aqui, na impulseup, nós utilizamos uma Biblioteca de PDI para agilizar algumas ações. Você pode aproveitar esse conteúdo na forma que está ou se inspirar para criar novos Planos de Desenvolvimento em sua empresa.

Compensação e Remuneração

Não custa lembrar que os colaboradores devem ser remunerados adequadamente pelos serviços prestados. 

Quando o valor pago corresponde ao que é entregue pelo colaborador, é mais difícil que haja uma sensação de desvalorização ou, até mesmo, exploração. 

Inclusive, quando os pagamentos estão compatíveis, o colaborador se preocupa menos com questões financeiras externas, podendo se concentrar melhor em suas atividades. 

Segurança e Bem-Estar

Não restam dúvidas de que estar em dia com a saúde, física e mental, propicia que os colaboradores desempenhem suas atividades da melhor forma possível. Por isso, implementar programas de bem-estar é extremamente positivo para os profissionais e para a empresa. 

Então, pense nas necessidades e características do seu time. A partir disso, pense em atividades que façam sentido para eles. Que tal criar espaços de descanso, promover aulas de ginástica laboral, disponibilizar acesso aos cuidados com o corpo e a mente por meio de planos de saúde e atendimento psicológico? Programas de prevenção e gerenciamento de doenças também costumam surtir ótimos efeitos. 

Mas não se esqueça: antes de implementar qualquer atividade ou programa de bem-estar, avalie se é isso mesmo que os seus colaboradores desejam e, principalmente, precisam. O efeito pode acabar sendo o contrário se eles se virem a realizar atividades indesejadas ou que não vejam sentido. 

Em relação à segurança, é muito importante garantir a segurança, tanto física quanto psicológica, dos colaboradores. 

Providencie mobiliário adequado e confortável, ambiente limpo, acesso e mobilidade para pessoas portadores de deficiência. 

Para a segurança psicológica, é imprescindível proporcionar um ambiente livre de ameaças, assédios e condutas preconceituosas. Para isso, promova ações positivas de inclusão, disponibilize canais de denúncias, implemente uma atividade de compliance.  

Um processo eficiente para apoiar os colaboradores com foco em segurança e bem-estar pode ajudá-los a adotar um estilo de vida mais saudável, tanto em casa quanto no local de trabalho. 

Benefícios 

Os benefícios oferecidos aos colaboradores são responsáveis por cobrir o pagamento indireto de sua força de trabalho, ou seja, não se confundem com a remuneração financeira. Eles podem ser, por exemplo, seguro de saúde, ações da empresa, dias a mais de descanso, prêmios, descontos, enfim, há uma infinidade de possibilidades. 

É importante frisar que os benefícios dependem das condições e da realidade de cada organização. 

Assim, mesmo que duas empresas ofereçam o exato mesmo salário, elas podem divergir em termos de benefícios, fazendo com que uma proposta seja melhor que a outra. Em um mercado cada vez mais competitivo, os benefícios podem ser o diferencial entre quem faz as melhores contratações ou não. 

Dessa forma, proporcionar uma remuneração justa e baseada no desempenho é inerente às melhores práticas em Recursos Humanos e gestão de pessoas. Inclusive, remuneração e benefícios caminham juntos.

Cultura de Feedback

Dar e receber feedbacks proporciona uma sensação de envolvimento e interatividade, permitindo que os colaboradores se apropriem de seu desenvolvimento. 

Assim, um feedback eficiente mostra aos profissionais seu nível atual de desempenho e possibilita que eles saibam o que precisam fazer para alcançar um nível superior.

Existem no mercado ferramentas que possibilitam que os feedbacks sejam oferecidos online a qualquer membro da empresa, ficando os apontamentos registrados no sistema. 

Na impulseup, por exemplo, qualquer colaborador pode registrar um feedback dentro da própria plataforma, além de solicitar que seus colegas e gestores ofereçam um apontamento. Utilizar um sistema adequado facilita todo o processo, incentivando, inclusive, pessoas mais introvertidas. 

Esses foram apenas alguns fatores que podem ser levados em consideração na hora de implementar uma gestão de pessoas em sua empresa. Lembre-se de sempre adequar o que aprender aqui à sua realidade. 

5 dicas para gestão de pessoas 

Para te ajudar a iniciar a gestão de pessoas em sua empresa, separamos algumas dicas:

Pratique a escuta ativa

A escuta ativa é a prática de escutar o interlocutor para entender completamente sua perspectiva, pergunta ou preocupação antes de responder. 

Ouvintes ativos removem distrações, mantêm contato visual e oferecem dicas verbais ou não verbais para indicar seu envolvimento e compreensão.

Não se esqueça, são pessoas lidando com pessoas e todo mundo aprecia ser respeitado e valorizado. 

Quando um colaborador vier até você com uma dúvida ou problema, use indicadores não verbais, como acenar com a cabeça, para demonstrar seu envolvimento e interesse enquanto ele se expressa.

Abuse da criatividade

Criatividade não significa somente saber pintar ou tocar instrumentos musicais. A criatividade também surge na forma de resolução de problemas, descoberta de soluções e desenvolvimento de novos processos.

Por isso, ao se deparar com alguma situação imprevista ou inusitada, não se permita travar. Fuja das cartilhas e encontre soluções que se encaixem com o que você precisa. 

Aliás, a criatividade fomentou os grandes gestores e profissionais de RH desde o início da pandemia. Quem inovou mais rapidamente seguiu em frente de forma menos traumática.  

Em 2020, as empresas tiveram que aprender a trabalhar à distância, reorganizar os pisos de fábrica, trabalhar com máscaras e cumprir os regulamentos de saúde governamentais em constante mudança. Essa é uma habilidade crítica de gestão de pessoas a ser levada em consideração para sempre. 

Flexibilidade

Como dissemos um pouco acima, são pessoas lidando com pessoas e todas as peculiaridades que essa relação envolve. 

Por isso, saber quando ser flexível e quando orientar os colaboradores com mais firmeza é um aspecto importante da gestão eficaz de pessoas. 

Assim, é possível ser flexível no estilo de gerenciamento acomodando as necessidades individuais – como horários ajustáveis ​​ou opções de trabalho remoto – e permitindo que os colaboradores adaptem seu fluxo de trabalho.

Nesse sentido, é muito importante avaliar a produtividade e resultados de cada colaborador. Não sendo possível manter o estilo adotado pelo profissional, é interessante mostrar que ele deverá ser revisto por meio de dados. 

Não deve ser um grande problema se cada colaborador optar por realizar suas tarefas de uma forma diferente. O que mais deve importar são os resultados. Inclusive, se a metodologia de um funcionário estiver sendo mais produtiva, você pode incentivar que ele a ensine aos seus colegas. 

Organização

Não apenas na gestão de pessoas, mas organização é uma qualidade em qualquer atividade profissional. 

No entanto, ser um gestor ou profissional de RH envolve lidar com diferentes tarefas em andamento ao mesmo tempo. Assim, ser uma pessoa organizada, otimiza o seu tempo e dos outros. A produtividade agradece! 

Quando falamos de organização, também estamos falando de priorização. Não conseguimos fazer tudo ao mesmo tempo e com a qualidade necessária. Por isso, é importante saber o que fazer imediatamente, o que delegar, o que agendar e até mesmo o que não fazer. Já ouviu falar da Matriz de Esforço VS Impacto? Ela pode ser uma ótima aliada! 

Assim, características de uma pessoa organizada incluem:

  • Responder o mais breve possível e-mails, solicitações de aprovação e perguntas;
  • Manter um calendário atualizado para acompanhar ativamente os prazos pessoais e do time;
  • Otimizar a realização de reuniões para evitar encontros desnecessários ou demasiadamente extensos; 
  • Atribuir e delegar adequadamente tarefas.

Comunicação clara e objetiva

Uma boa comunicação é uma habilidade fundamental de gestão de pessoas que permite que os membros da equipe trabalhem juntos na resolução de problemas, novas ideias e projetos. 

Por isso, pratique uma comunicação eficaz utilizando uma linguagem clara e simples, independentemente se verbal ou escrita. Isso facilita que todos os destinatários recebam e compreendam sua mensagem.

Aliás, não existe comunicação sem a compreensão da outra parte. Assim, quando necessário, considere revisar a maneira como você se comunica para evitar barreiras comuns, como muita informação de uma só vez ou termos inacessíveis. 

Além disso, sempre mostre que há espaço para esclarecimento quando houver dúvidas. 

Analisando a gestão de pessoas 

“O que não pode ser medido, não pode ser gerenciado.” A frase do célebre estatístico William Edwards Deming define bem a importância da análise de dados, inclusive na gestão de pessoas. 

Avalie o desempenho, acompanhe prazos, compare os números dos colaboradores, elabore relatórios, tenha um registro histórico de tudo. Não há dúvidas que uma gestão eficaz passa pela forma com a qual os dados e informações são considerados. 

Para facilitar os processos, você pode fazer uso de uma boa plataforma de gestão de pessoas para obter dados mais precisos e emitir relatórios e gráficos com facilidade. 

Lembre-se que o desempenho e produtividade do time interferem diretamente na saúde e crescimento do próprio negócio. 

Aliás, manter os dados organizados otimiza as tomadas de decisão, até mesmo as mais difíceis, como o desligamento de colaboradores. 

Por isso, meça tudo que for importante!

Não existe o momento certo

Não existe o melhor momento para iniciar a gestão de pessoas em uma empresa. Por isso, mesmo que não seja possível aplicar tudo que aprendeu por aqui, comece fazendo as ações que se adequem à sua realidade. 

Com o tempo, vá aprimorando as técnicas e processos. Acredite, o retorno é sempre positivo. 

A gestão de pessoas é como a força motriz de uma empresa, já que toda a sua fonte de trabalho passa pelos colaboradores. E, assegurando o melhor desempenho deles, a tendência é que a organização alcance seus objetivos e metas de crescimento.  

E como o objetivo aqui é te ajudar a promover a melhor gestão de pessoas possível em sua empresa, a impulseup disponibiliza um período de 14 dias para você testar toda a plataforma sem pagar absolutamente nada por isso.

Venha aproveitar todos os benefícios de uma plataforma completa e realize Avaliações de Desempenho, ofereça feedbacks, implemente PDIs, realize encontros 1:1 e muito mais. Tudo rápido, fácil e eficiente. 

Garanta o seu teste grátis hoje mesmo clicando aqui!

Deixe um comentário