Blog ImpulseUP

Saúde mental dos colaboradores: como o RH pode ajudar?

Prazos apertados, alta competitividade, metas a serem batidas, cobranças excessivas fazem parte da realidade diária de vários profissionais. Esse tipo de rotina é extremamente danosa para a saúde dos funcionário se pode até mesmo afetar a produtividade da empresa. A partir dessa realidade, surge a questão: Como o RH pode auxiliar a manter a saúde mental dos colaboradores?

Sabemos que as empresas não são feitas somente de valor financeiro, mas também de valores humanos. E como qualquer pessoa, os colaboradores das empresas são suscetíveis a esgotamento físico e mental que muitas vezes não recebem a devida importância.

É fundamental que os profissionais de RH se atentem e adotem medidas preventivas. Para se ter um parâmetro, entre 2003 e 2010 nos Estados Unidos um total de 1.719 pessoas se suicidaram no trabalho. Esse número já demonstra como é importante estar atento à saúde mental dos colaboradores.

Se interessou? Continue a leitura e saiba como construir um ambiente corporativo que promova a saúde e o bem-estar dos colaboradores, proporcionando felicidade e satisfação no trabalho.

Qual a importância de cuidar da saúde mental dos colaboradores?

De acordo com pesquisas da empresa multinacional Regus, 60% dos colaboradores consideram o trabalho a causa do abalo de sua saúde mental. Isso porque a correria do dia a dia, as constantes pressões, metas e prazos, têm gerado insatisfação, estresse, ansiedade, depressão e até mesmo a Síndrome de Burnout.

Este distúrbio é a prova viva de que a problemática é real e necessita de acompanhamento. A síndrome de Burnout é um distúrbio psíquico caracterizado pelo estado de tensão emocional e estresse provocados por condições de trabalho desgastantes.

Além da questão humana que implica no bem-estar físico e social daquele ser humano, que muitas vezes, passa boa parte do dia no emprego, há ainda a questão que afeta diretamente os resultados da empresa.

Isso ocorre porque quando um funcionário está com o psicológico abalado, certamente a produtividade cai, e por consequência os resultados da empresa podem ser afetados. Daí, a grande importância de desenvolver as competências dos colaboradores, fazendo com que eles se sintam bem no ambiente organizacional.

Mas as consequências não param por aí, muitos outros efeitos negativos podem surgir com essa carga emocional. Continue a leitura e descubra os impactos que esse contratempo pode ocasionar!

Consequências da baixa saúde mental dos colaboradores para a empresa

Ao passo que os efeitos de danos à saúde mental são sentidos pelos próprios funcionários, muitas vezes, eles também são determinantes no andamento de demandas. Isso porque em muitos casos as tarefas são distribuídas em equipes que dependem entre si.

Diante disso, algumas consequências surgem dentro do ambiente organizacional, como:

Baixo rendimento da equipe

Para qualquer cargo que seja, a saúde mental é muito importante. Afinal de contas, ela está diretamente relacionada ao foco e à concentração do colaborador.

Com a saúde mental comprometida, o profissional pode passar a não entregar bons materiais e isso pode, inclusive, frustrá-lo ainda mais. Com isso, esse problema pode afetar a produtividade e a motivação da equipe. Ele pode se sentir desvalorizado e até mesmo deixar de se comprometer com resultados.

Taxa de turnover

Um dos sinais em que o RH deve ficar atento é quanto ao aumento do turnover, ou seja, a rotatividade da empresa. Isso pode significar que algo não vai bem entre os funcionários.

A partir daí, cabe ao gestor de RH investigar como os colaboradores estão se sentindo, se estão insatisfeitos ou se existe algo os prejudicando para desencadear esse comportamento que pode muitas vezes, estar atrelado à questão de saúde mental.

É importante sempre estar de olho nesse índice, afinal o aumento do turnover também significa perda de capital intelectual, inteligência, domínio dos processos, conexões internas e com os clientes, e até mesmo, de oportunidade de negócios.

Aumento do absenteísmo

Com o sentimento de frustração aliado à baixa produtividade e psicológico comprometido, os colaboradores podem se abster do ambiente de trabalho ou chegar atrasados com mais frequência. Esse tipo de comportamento é conhecido como absenteísmo.

Entre as consequências desse tipo de conduta, está o comprometimento da qualidade e produtividade, perda de prazos e consequentemente a insatisfação dos clientes e também a sobrecarga de outros membros da equipe.

Ações que o RH pode realizar para melhorar a saúde mental dos colaboradores

Você já está ciente da importância de prezar pela boa saúde mental dos colaboradores, então veja como encontrar soluções para aliviar esse problema!

Felizmente, existem maneiras de reverter ou melhorar essa situação e proporcionar um ambiente muito mais favorável para a produtividade e bem-estar de todos.

Facilite um ambiente aberto e confortável

Um ótimo ponto de partida para zelar da saúde mental dos colaboradores é proporcionar um ambiente de trabalho com horários mais flexíveis e gestores compreensíveis com problemas.

Nesse caso, um modelo de gestão transparente e condescendente, que valoriza o desenvolvimento profissional e pessoal de cada profissional é fundamental.

Esse tipo de administração deve observar sinais de riscos psicossociais relacionados ao ambiente de trabalho (como desmotivação, irritabilidade, queda da produtividade, estresse excessivo, fadiga e dificuldade de concentração) e implementar medidas específicas que visam combatê-los.

Assim, os profissionais tendem a se sentir valorizados e incentivados a buscar um crescimento constante.

Acompanhamento do bem-estar dos funcionários

Ao manter uma boa qualidade de vida no trabalho, o desempenho dos colaboradores nas atividades passa a melhorar, e por consequência, ocorre a redução da desmotivação, do estresse e dos índices de insatisfação com o trabalho. Com a redução desses aspectos negativos, a chance de haver uma melhora na saúde mental dos colaboradores tornam-se maiores.

Entre as alternativas que podem ser utilizadas, está a prática do feedback contínuo que implica em informar aos colaboradores sobre sua performance profissional ao longo do tempo. Essa prática inclui elogiar os bons resultados e mostrar os pontos que podem ser melhorados.

Além disso, existe também a avaliação de desempenho que possibilita avaliar competências técnicas e comportamentais dos colaboradores. E a partir disso, relacioná-los com a cultura da empresa. Esse ciclo de avaliação pode ser realizado de tempos em tempos, para analisar a evolução do desempenho e do desenvolvimento das competências.

Para aprimorar ainda mais as estratégias citadas, o PDI, Plano de Desenvolvimento Individual pode ser um ótimo aliado. Com ele, é possível criar ações para desenvolver diferentes competências de um colaborador com clareza, direcionamento e identificação. Assim, estimula-se a motivação e o engajamento desse profissional.

Por isso, é fundamental ficar de olho na equipe buscando avaliar o bem-estar, levando em consideração questões pessoais, emocionais, físicas e socioambientais.

Ao analisar os resultados, torna-se necessário promover ações pontuais para amenizar conforme as situações vigentes.

Invista em estratégia de gestão de saúde

Uma gestão de saúde e qualidade de vida nas empresas depende de uma análise completa do perfil de saúde dos seus colaboradores.

A partir dos resultados obtidos, é possível inferir quais os problemas de saúde que mais impactam nos custos e na rotina da empresa. Assim, torna-se mais fácil planejar e implementar estratégias assertivas e que, de fato, promovam os resultados esperados.

Algumas alternativas seriam recorrer à ações de massagens, psicologia organizacional, yoga, relaxamento, dentre outras metodologias eficientes para a questão. A partir disso, os benefícios vêm rápido: mais concentração, organização e redução do estresse no trabalho.

Vale lembrar que esse tipo de abordagem deve ser constante, e não somente ações isoladas. Afinal, manter um padrão de cuidado com seu empregador é essencial para evitar futuros problemas.

Conclusão

Como você notou, o impacto de negligenciar o cuidado da saúde mental dos colaboradores gera consequências para todas as partes envolvidas no processo. Em decorrência disso, é fundamental que as empresas valorizem cada vez mais o zelo com o bem estar dos funcionários.

Para isso, o setor de Recursos Humanos deve promover ações e criar estratégias para que os colaboradores se sintam saudáveis e motivados para exercerem as atividades do dia a dia. Assim, quando um funcionário precisar de amparo, ele estará ciente de que pode contar com a companhia.

Agora que você já dominou essa grande problemática da cultura organizacional, que tal continuar aprimorando seus conhecimentos? Saiba como desenvolver as competências essenciais dos colaboradores da melhor forma possível.

Baixe nosso ebook gratuito com um Guia completo para Gestão de Competências na Organização!

Deixe um comentário