Blog ImpulseUP

Diversidade no ambiente de trabalho: como incentivar?

Além do profissionalismo, toda empresa possui um papel social muito importante, o de saber lidar com a multiplicidade cultural. Encarar que as diferenças existem e que é preciso fomentá-las é o primeiro passo para uma postura madura frente a diversidade no ambiente de trabalho.

Diferenças como etnia, PcD, orientação sexual, gênero, idade, cor, personalidade e crenças precisam estar presentes no ambiente profissional da organização para estimular o respeito à individualidade do próximo entre os colaboradores. Além disso, essa política social precisa fazer parte da cultura organizacional da empresa.

Essas diferenças no ambiente de trabalho, quando olhadas de forma positiva, podem trazer muitos benefícios para a instituição como um todo.

Benefícios

Alcance de melhores resultados

Ter um time com pessoas completamente diferentes umas das outras, às vezes, pode aparentar que acabará em confusão. Mas, de acordo com um estudo realizado pela Organização McKinsey & Company10, os resultados provam o contrário.

  • Empresas com diversidade étnica e racial possuem 35% mais chances de ter rendimentos acima da média do seu setor;
  • As empresas com diversidade de gênero, possuem 15% a mais de chances de ter rendimentos acima da média;
  • Nos Estados Unidos, para cada 10% de aumento na diversidade racial ou étnica na equipe de executivos, os lucros aumentam 0,8%.

Esses resultados estimulam a ideia de que empresas mais diversificadas são mais capazes de reter talentos e melhorar sua orientação para o cliente, satisfação dos funcionários e tomada de decisões, e tudo isso leva a um ciclo virtuoso de retornos crescentes.

Vantagem competitiva

Conquistar um diferencial competitivo tem sido um desafio e uma procura constante das empresas no Brasil. Contudo, obter recursos que a concorrência ainda não alcançou está cada vez mais ligado à gestão de pessoas.

A implementação de políticas que valorizam a diversidade no ambiente de trabalho é uma das principais estratégias das grandes empresas para a consolidação do sucesso.

Diversidade é vantagem competitiva.

Uma empresa que decide optar pela inclusão de pessoas diferentes traz um nível de vantagem competitiva em relação aos outros negócios. Claro que o papel social é o mais importante, mas também não deixa de ser uma estratégia que a corporação possa utilizar, desde que faça parte da cultura da empresa.

Redução dos conflitos internos

Quando as diferenças são enxergadas por uma ótica de sucesso, as pessoas tendem a se aceitarem e passam a usar a diversidade como um motor no desenvolvimento da esfera profissional. Esse comportamento reduz, de forma satisfatória, os conflitos internos.

Além disso, segundo a Harvard Business Review, onde a diversidade é reconhecida e praticada, a existência de conflitos chega a ser 50% menor que nas outras organizações. Isso significa que quando trabalhamos em um ambiente que aceita as diferenças, também nos sentimos mais à vontade para aprender e arriscar.

Aumento da criatividade

O mercado valoriza muito colaboradores que são criativos, mas essa característica não aparece de uma hora para a outra. Mesmo em pessoas essencialmente criativas, ela precisa ser trabalhada diariamente. Com a presença de colaboradores diferentes, essa criatividade tende a aumentar, pois aumenta também o repertório cultural dos funcionários.

Diminuição da rotatividade

Para os colaboradores, trabalhar em um ambiente no qual eles possam expressar suas diferenças é libertador e reconfortante. Eles se sentem motivados e acolhidos, pois sabem que podem ser quem são e não serão reprimidos por isso.

Conforme uma pesquisa da Harvard Business Review, foi revelado que nas empresas onde o ambiente de diversidade é reconhecido, os funcionários estão 17% mais engajados e dispostos a irem além das suas responsabilidades.

E quando os colaboradores estão engajados, não vêem motivos para deixar a empresa e procurarem outra, estão satisfeitos em suas posições. Consequentemente, a taxa de turnover diminui de forma considerável.

Papel do RH

De acordo com um estudo realizado pelo Instituto Ethos com 500 empresas brasileiras:

  • Apenas 2% dos funcionários das maiores empresas brasileiras são pessoas com deficiência (o mínimo exigido pela lei);
  • As mulheres representam 58,9% dos estagiários e apenas 13,6% das vagas executivas;
  • As mulheres recebem 70% da massa salarial obtida pelos homens;
  • Não existe um executivo de origem indígena nas empresas estudadas;
  • 94,2% dos cargos executivos pertencem a brancos, enquanto apenas 4,7% dos negros ocupam cargos nesse nível.

Portanto, cabe ao RH implementar um novo modelo de contratação que dê espaço para que pessoas diferentes possam mostrar suas habilidades e competências que acrescentarão no time da empresa.

O RH de uma empresa precisa estabelecer critérios bem definidos quanto a diversidade no ambiente de trabalho. Seu papel é orientar os colaboradores para que estes se adaptem às diferenças no dia a dia e ensiná-los a tirar vantagem disso. Não aceitar atitudes preconceituosas é o mínimo que o RH pode fazer, já que tais atitudes não condizem com a cultura organizacional da empresa.

Caso a organização esteja dando a devida importância para esse tema apenas agora, saiba que o começo é um pouco desafiador. No entanto, com paciência e muito investimento em conhecimento, o clima interno será favorecido.

Como incentivar a diversidade no ambiente de trabalho?

Programas de inclusão

Implementar programas de inclusão é uma ótima alternativa que o RH pode utilizar, principalmente para fomentar o engajamento dos colaboradores.

Por isso, criar comitês específicos para as mulheres, para os LGBTQs e para pessoas com deficiência por exemplo, é uma forma de mostrar que a empresa se preocupa com a causa das minorias e que proporcionará a elas uma oportunidade de crescimento e desenvolvimento.

Mostras culturais

Para que os colaboradores se adaptem às diferenças uns dos outros, é preciso criar formas de impulsionar o respeito mútuo. Realizar mostras culturais pode ser uma ótima ideia para promover a interação de diferentes costumes e conscientizar sobre a postura madura de tolerância.

Esses modelos de evento tendem a expandir os conhecimentos dos colaboradores acerca de outras culturas, o que os fazem amadurecer e criar laços de empatia com os colegas de trabalho. As consequências disso perduram para o resto da vida e mesmo que o funcionário mude de empresa, levará esse valor consigo.

Programas voluntários

Realizar programas voluntários também é uma ótima opção, que em conjunto com as citadas acima, farão a diferença no ambiente de trabalho. Separar a equipe em grupos para que façam voluntariado fora do contexto profissional, fará com que os colaboradores se conheçam melhor e se identifiquem em diversos pontos.

Além disso, enquanto ajudam o próximo, estarão desenvolvendo, juntos, os sentimentos de respeito e empatia pelo que é diferente.

Feedback

A comunicação no contexto profissional pode evitar conflitos desnecessários. Após inserir programas de inclusão, mostras culturais e programas voluntários, é válido implementar um sistema de feedback construtivo também.

Assim, qualquer pessoa, que se sentir ofendida ou aprovar o comportamento dos colegas de trabalho, pode dar um retorno com sua opinião e suas sugestões de melhoria.

A comunicação clara, objetiva e aberta pode revolucionar a dinâmica de uma instituição.

Conclusão

Empresas como o Google, Coca-Cola, Facebook, Mastercard, P&G e Johnson & Johnson já utilizam da diversidade como uma estratégia para conquistar valor no mercado. Portanto, incentivar a diversidade no ambiente de trabalho é extremamente necessário para estimular uma postura madura da empresa frente às diferenças.

Para auxiliar no processo, preparamos um e-book sobre ‘Gestão de Competências na Organização’, um guia completo que é gratuito. Baixe agora!

Deixe um comentário