Blog ImpulseUP

Psicologia Organizacional: tudo que você precisa saber

Relações profissionais abaladas, queda da produtividade, turnover e ambiente corporativo estressante são algumas características de empresas que não levam em consideração a importância da psicologia organizacional.

Os profissionais desta área normalmente atuam no RH das empresas. Dentre as atribuições deles estão criar, desenvolver e acompanhar de perto estratégias e ações que visam promover condições de boa convivência, estimular a produtividade e focar na qualidade de vida dos funcionários.

Acima de tudo, compreender o que faz um psicólogo organizacional e como ele pode ser benéfico na sua empresa pode ajudar a melhorá-la. Por isso, reunimos informações preciosas para te ajudar.

Como surgiu?

A história da psicologia organizacional começa há muito tempo, com a Revolução Francesa e a Revolução Industrial. Com a desestruturação do sistema feudal e o surgimento de trabalhadores autônomos, era preciso que os trabalhadores fossem amparados de alguma forma.

Também chamada de Psicologia Industrial, naquela época, a preocupação era com a seleção e recrutamento de trabalhadores e soldados, certamente sem levar em consideração as questões sociais.

No entanto, a psicologia organizacional só obteve reconhecimento em 1924, ano em que foram feitas pesquisas para descobrir como eram as condições de trabalho. Posteriormente, foram pensadas novas formas de trabalhar. A ideia era tentar acabar com a visão de que o trabalhador é mecânico, que vem desde a Revolução Industrial.

Posteriormente, a partir dos anos 1950, junto com os estudos de sociologia e antropologia, as questões sociais influenciaram na denominação da vertente. Atualmente, as empresas optam por ter esse profissional para acompanhar de perto as condições de trabalho dos colaboradores.

Fundamentos da Psicologia Organizacional

A psicologia organizacional fundamenta seus princípios e diretrizes na ciência. Em outras palavras, estudos são feitos para analisar tanto a mente humana quanto o comportamento das pessoas no ambiente de trabalho.

Em um cenário de múltiplas possibilidades, é válido abordar a necessidade de uma gestão estratégica. Portanto, identificar e resolver conflitos internos pode diminuir o impacto que as relações interpessoais causam na empresa e com isso, aumentar os resultados das organizações.

A psicologia organizacional estrutura a vida do colaborador.

Sendo assim, em uma perspectiva social, a importância da psicologia organizacional é nítida. O processo produtivo dos profissionais é acelerado, existe assertividade nos problemas individuais, coletivos e da organização, além de possuir a definição e acompanhamento de metas e objetivos.

Ramos da Psicologia Organizacional

A psicologia organizacional é uma vertente da psicologia tradicional que dá ênfase para o mercado de trabalho e as relações interpessoais que são desenvolvidas dentro de uma empresa. Em suma, essa vertente pode ser dividida em três:

  • Psicologia do pessoal: aborda questões voltadas para a seleção de pessoas, orientação e desenvolvimento de carreiras, avaliações de desempenho, por exemplo.
  • Psicologia do trabalho: aborda questões voltadas para a interação do funcionário com o maquinário, organização do trabalho e saúde e segurança do colaborador, dentre outros.
  • Psicologia das organizações: envolve aspectos como motivação, programa de desenvolvimento de líderes, relações interpessoais, ser ouvido pelos colegas, respeito mútuo, boa relação com os gestores, acolhimento no grupo, competitividade saudável, ética profissional e gestão de conflitos, por exemplo.

Atuação dos profissionais

Ao compreender as necessidades da organização, o profissional de psicologia promove ações para motivar funcionários, formar e treinar líderes e melhorar o clima organizacional. Tudo isso com a participação do gestor de RH e equipe. Portanto, ele atua em várias áreas:

Além disso, a atuação desses profissionais pode ser interna e externa. A interna é realizada por consultores da própria empresa, que já conhecem a cultura organizacional e estão imersos no dia a dia do negócio. Ou seja, são os psicólogos que também estão inseridos na corporação como colaboradores.

Já a externa é realizada por uma equipe de colaboradores que não pertence à corporação. Nesse caso, são contratados de forma temporária para resolver um problema específico. A maior vantagem desse modelo é a imparcialidade, já que o psicólogo não faz parte do cotidiano organizacional.

Conclusão

Promover a qualidade de vida com condições favoráveis para os funcionários pode estimular a produtividade e aumento do lucro na empresa. Por isso, aposte em profissionais que trabalham com a vertente da psicologia organizacional e veja como as estratégias criadas podem elevar o bem-estar geral.

Para te auxiliar, disponibilizamos um e-book sobre as 6 principais tendências do RH estratégico. É grátis, baixe agora!

Deixe um comentário