Blog ImpulseUP

Plano de Carreira: o que é e como funciona

Baixa produtividade, altos índices de turnover, dificuldade em formar líderes e falta de alinhamento são alguns dos problemas que as empresas enfrentam com os funcionários e que dificultam a realização das metas. O plano de carreira aparece como um aliado do RH ao apresentar uma solução eficiente.

Intitulado como guia de crescimento profissional na empresa, o plano de carreira precisa adequar as vontades e as qualidades do funcionário com os objetivos e propósitos da companhia.

Reunimos algumas dicas para te auxiliar na criação de um plano eficaz. Vamos lá?

Como funciona o Plano de Carreira?

As empresas, de forma natural, aderiram ao processo de ter os colaboradores como aliados para alcançar todas ou a maioria das metas estabelecidas a cada ano. E com o mercado muito competitivo, bons funcionários precisam ser valorizados e se sentirem seguros dentro de uma corporação para que não cogitem outro emprego.

Para que haja o alinhamento entre os funcionários e a empresa, é imprescindível que o gestor de RH e sua equipe sejam estratégicos. Por isso, o plano de carreira funciona como um direcionamento para que tal desafio seja transpassado com sucesso.

O plano de carreira, de forma geral, possui alguns propósitos dentro da organização, como promoção, aumento de salário e de responsabilidade, transferência de filial da empresa, transferência de cargo, aquisição de novos conhecimentos e habilidades, experiência em outros países, melhoria de vida, dentre outros.

Cada propósito vai depender do perfil do colaborador, dos resultados dele, do tempo de trabalho na empresa e da vontade deste.

É importante lembrar que esse processo acontece com um trabalho conjunto. Em outras palavras, os funcionários possuem abertura para expressar suas vontades junto ao gestor de RH e à diretoria.

Benefícios do Plano de Carreira

Elaborar um plano de carreira e colocá-lo em prática pode trazer muitos benefícios, principalmente a longo prazo. Veja alguns:

Aprimoramento de talentos

Quando a empresa, em consonância com o colaborador, elabora um plano de carreira, fica muito mais fácil decidir em quais áreas investir para chegar ao próximo objetivo. Portanto, treinamentos específicos, com foco no desenvolvimento, podem lapidar e reter os talentos das pessoas que fazem parte da organização.

Equipe motivada

Quando o funcionário sabe que a empresa quer crescer junto dele e o incentiva rumo a esse desenvolvimento, ele fica muito mais motivado. Além disso, se engaja e se alinha aos propósitos da instituição, características que juntas transformam o ambiente de trabalho.

Diminuição da rotatividade

Uma pesquisa feita pelo Instituto Locomotiva no ano de 2017 revelou que 56% dos trabalhadores formais estão insatisfeitos com o trabalho. Esse motivo pode acarretar em pedidos de demissão e falta de comprometimento com a empresa.

Ao aplicar o plano de carreira, as condições de trabalho mudam e o colaborador se sente mais seguro e motivado a vestir a camisa da empresa. Como resultado, as taxas de rotatividade tendem a diminuir.

Resultados

Funcionários motivados entregam o serviço com uma qualidade diferenciada. Enquanto isso, os resultados são visíveis e perduram ao longo do tempo. E bons resultados fazem a empresa crescer e conquistar novos espaços no mercado.

Economia

Outro benefício que o plano de carreira oferece é a economia. Custos com admissões e demissões são reduzidos devido à baixa taxa de rotatividade na empresa. Portanto, o dinheiro que seria usado para essas ações pode ser destinado para cursos profissionalizantes.

Como construir um Plano de Carreira?

Para construir um bom plano de carreira é necessário seguir alguns passos, veja abaixo:

Definição de metas e objetivos

Para começar a estruturar o plano de carreira, é necessário estabelecer as metas e os objetivos de cada colaborador de acordo com a função atual e as pretensões de ambas as partes que foram acordadas no momento da contratação.

Vamos supor que Caio, estagiário de marketing, queira no futuro o cargo de diretor na empresa em que trabalha. Para isso, ele precisa desenvolver habilidades específicas e se destacar como líder perante os colegas de trabalho.

Cabe ao gestor de RH, ao saber e perceber essa pretensão, se unir com a equipe e traçar metas e objetivos para que Caio seja efetivado e cresça na empresa. O ideal é estabelecer metas de curto, médio e longo prazo e trabalhar cada uma delas de forma progressiva.

No entanto, é bom ter noção de que essas metas podem mudar conforme o funcionário se estabelece na empresa. Isso acontece quando este descobre novas habilidades e se sai melhor em uma outra função.

Por isso, é bom estar com o plano de carreira sempre atualizado.

Avaliação das habilidades e competências

Neste momento é hora de avaliar as habilidades e competências de cada colaborador contratado. Ser claro nesta etapa é essencial e pode poupar de uma dor de cabeça futura.

A equipe de RH pode realizar um mapeamento de competências e avaliações de desempenho periódicas para ver como cada colaborador desenvolve as habilidades que ele precisa ter.

Além disso, é aconselhável separar essas informações em habilidades/competências que o funcionário possui, que não possui, que gostaria de desenvolver e que precisa desenvolver para um bom desempenho do cargo.

Ao final, é importante entregar o feedback construtivo dessas informações para os funcionários. Além de mostrar, com transparência e respeito, todos os pontos a serem melhorados.

No exemplo de Caio, seria apontado pelo gestor de RH que ele é muito bom comunicador e sabe resolver problemas. No entanto, fica perdido quanto às técnicas e ferramentas que o marketing utiliza.

Plano de ação

No plano de ação é hora de colocar em prática tudo que foi escrito e analisado. Definir prazo para as metas e objetivos é uma ótima opção para manter tudo organizado e não se esquecer de nada.

Retomando o exemplo do Caio, o estagiário de marketing, já foi traçado o objetivo e as competências. Aqui, em consonância com esses atributos, o gestor de RH possui a tarefa de colocar no papel, passo a passo, as etapas que farão com que o funcionário atinja o objetivo, que também é interessante para a empresa.

No prazo de um ano, o gestor de RH pode optar por cursos profissionalizantes para que Caio domine as técnicas do marketing de forma precisa e segura. Assim, cada curso, palestra e workshops serão escolhidos a dedo para que o colaborador siga seu caminho profissional. O mesmo acontecerá com as metas a médio e a longo prazo.

Ter um plano de ação é recomendado para que as metas sejam realizadas, por isso, aposte nisso com a equipe.

Conclusão

Um plano de carreira deve ser elaborado com calma, muita estratégia e estar sempre atualizado. Ouvir e levar em consideração o que o colaborador propõe também é muito importante.

Assim, evite taxas de rotatividade, invista nos funcionários o máximo que puder e o desenvolvimento deste profissional será notável. Os dois lados só têm a ganhar.

Para te auxiliar melhor no assunto, vamos disponibilizar um kit completo sobre planejamento de gestão de sucessão de talentos. Baixe agora!

Deixe um comentário