Blog ImpulseUP

Metas profissionais: como defini-las para a equipe?

É muito provável que sua empresa conte com um planejamento estratégico. Para “fazer acontecer”, é preciso planejamento. É necessário saber onde queremos ir, os possíveis caminhos para chegar lá e quais cenários podem ser enfrentados. Para concretizar tudo isso, precisamos colocar em prática metas profissionais.

Para definir metas profissionais, é preciso ter uma visão de futuro da empresa que esteja em congruência com o planejamento anual.

Além disso, pode ser interessante que essa visão de futuro seja compartilhada entre os colaboradores, contribuindo para a motivação através da protagonização. Afinal, se os colaboradores entendem o porquê de suas metas e ajudam a construí-las, eles vão, com certeza, estar mais engajados em atingi-las.

Nesse artigo, diferenciamos metas de objetivos, falamos sobre como começar a estabelecer metas e apresentamos métodos para o acompanhamento dos colaboradores, garantindo o sucesso em seu alcance.

O que são metas profissionais?

No início do artigo, falamos bastante sobre metas. Mas você sabe o que seria esse conceito exatamente? Sabe a diferença entre meta e objetivo?

Meta ou objetivo?

Objetivo e meta muitas vezes são confundidos, mas apresentam conceitos diferentes.

Objetivo é uma descrição do que se quer. Colaboradores mais engajados, mais lucro na receita da empresa são exemplos de objetivos.

Meta, por sua vez, são mais específicas. Por exemplo, colaboradores 50% mais engajados até o final do trimestre ou o dobro de vendas no ano seguinte. Você consegue perceber a diferença?

O objetivo geralmente é definido a nível organizacional, de forma mais ampla. Enquanto isso, as metas são definidas para as equipes. Elas são mais palpáveis, e, quando bem pensadas e estruturadas, podem ter um papel de convergir para o objetivo organizacional.

Por onde começar a estabelecer metas profissionais?

  • Saiba onde quer chegar: para definir metas, primeiro é preciso saber onde se quer chegar. O essencial aqui é sempre ter em mente onde a organização quer chegar, ou seja, qual é o objetivo maior da empresa.

    Só com esse objetivo é que se pode criar as metas. Elas devem ser realistas, mas desafiadoras o suficiente para manter a motivação dos colaboradores.
  • Utilize indicadores: tenha métricas capazes de mostrar se o trabalho da equipe está chegando ao resultado esperado. Eles serão importantes não só para a “linha de chegada”, mas também para o acompanhamento e eventual necessidade de revisão do plano de ação.
  • Defina um caminho: pense no que será feito para suprir esse gap de onde a equipe está e para onde a equipe quer chegar.

    Nesse momento, é preciso refletir e considerar todos os cenários que a equipe pode enfrentar, investindo em na análise sobre diversas possibilidades. Uma matriz SWOT, por exemplo, pode ser de grande auxílio.
  • Revise e atualize: a revisão periódica de cada uma dessas etapas é sempre muito bem vinda. Por mais que o foco seja o resultado final, é preciso fazer um acompanhamento para saber se o caminho está levando aos indicadores.
  • Valorize: o alcance de metas, por si só, já é motivador para o colaborador, mas não o suficiente. Então, reconhecê-lo pelo seu trabalho, seja com feedbacks positivos, com PPR, Programa de Participação nos Resultados ou PLR, Participação de Lucros e Resultados.

    Esses são programas nos quais os colaboradores recebem parte dos lucros em função do resultado que entregam. Ou seja, em função de sua participação no alcance das metas.

Existem algumas ferramentas que podem auxiliar muito nesse processo, indicando características essenciais no estabelecimento de metas eficazes. São elas o Método SMART, que propõe metas específicas, mensuráveis, atingíveis, relevantes e baseadas em um prazo determinado e os OKRs, que atrelam objetivos a resultados chaves.

Mas vale lembrar que caso você queira utilizar metas para bonificar os seus funcionários, não é indicado que utilize a Metodologia OKR.

Defina as metas profissionais com a equipe

Existem vários tipos de metas. Muitos de nós fazemos resoluções de ano novo que, no geral, são objetivos que podem acabar se tornando metas pessoais.

Por exemplo: esse ano, quero passar a ler mais. A meta atrelada a esse objetivo poderia ser: ler um livro por mês e, no mínimo, dez páginas por dia.

Quando falamos sobre metas profissionais, é um pouco mais complicado. Pois, além de estarem alinhadas com os objetivos e estratégia da empresa, devem ser capazes de engajar os colaboradores.

As metas profissionais geralmente envolvem uma equipe de trabalho, e o trabalho coletivo é uma competência importante a ser desenvolvida para que as metas sejam alcançadas.

Para Parker, está quase que intrínseco o estabelecimento de metas compartilhadas no conceito de equipes. Para além disso, as pessoas de uma equipe entendem que precisam trabalhar juntas para alcançar essa meta.

Todo trabalho em equipe demanda competências interpessoais, e uma boa liderança muito pode agregar nesse sentido. A liderança transformacional pode ser eficiente aqui, pois enfatiza a cooperação e uma mentalidade voltada para o bem comum.

Esse é um pensamento importante quando falamos sobre metas, pois visões compartilhadas aumentam o nível de compromisso, então os colaboradores precisam estar junto nessa construção.

Além disso, tanto o RH quanto as lideranças têm o papel de alinhar os colaboradores à missão, visão e aos valores da empresa. Muitas vezes, isso pode ser feito pelo RH a partir do processo seletivo, com o fit cultural.

Com esse alinhamento, é mais provável que os colaboradores entendam o seu papel dentro da empresa, e por conseguinte o motivo por detrás de suas metas. Esse processo de entendimento também os auxilia a tomarem essas metas profissionais para si, assumindo uma postura mais engajada e motivada.

Como acompanhar prazos e resultados?

Mesmo que metodologias aplicadas a criação de metas ajudem a manter o foco, ainda assim é preciso que haja um acompanhamento dos colaboradores.

Aqui, apresentamos algumas formas do gestor manter-se próximo do colaborador, acompanhando-o para que a meta seja atingida de forma consistente.

Para isso, podem ser adotados one-on-ones, feedforwards ou software de gestão de metas.

One-on-ones

Uma forma eficaz de acompanhar como está a performance dos colaboradores em relação as metas são as reuniões one-on-ones. Elas consistem em encontros periódicos entre líder e um liderado por vez e tem o objetivo de alinhar o que vem acontecendo no trabalho.

Aqui, damos dicas para um bom 1:1. As metas profissionais devem ser pautas dessas reuniões, assim como o feedback de ambos os lados acerca do caminho para atingir a meta em questão.

Pode ser interessante falar, também, de fatores externos à empresa que podem estar influenciando no alcance ou não das metas.

Por exemplo, atualmente, muitas organizações ainda se encontram no regime de teletrabalho. Talvez, essa situação seja positiva, talvez não. É importante entender também o contexto do colaborador.

Assim, ele percebe que é valorizado. Ele acaba se engajando mais em seu trabalho e se sentindo mais pertencente àquela equipe.

Feedforward

Você já deve estar familiarizado com o conceito de feedback, que é uma prática para que os colaboradores e lideranças deem um retorno sobre o trabalho uns dos outros. Esse retorno visa a melhora no desempenho de alguém ou faz a manutenção para que um comportamento benéfico aumente sua frequência.

Além do feedback, o feedforward, termo cunhado por Marshall Goldsmith, pode auxiliar os colaboradores a alcançarem as metas profissionais.

Ele foca no futuro e consiste em utilizar o diálogo para traçar um caminho a fim de que sejam alcançadas essas metas.

Para colocá-lo em prática, é preciso ter essa meta já bem estabelecida e mapear de forma estratégica o que é preciso para atingi-la e como começar essa mudança no momento presente.

Vale ressaltar que a estrutura de um feedback completo e bem estruturado, de certa forma, já inclui o feedforward quando fala sobre melhorias para o futuro, não deixando de lado o que já foi conquistado até aqui.

Software de gestão de metas

Softwares de gestão de metas também podem ajudar na tarefa de acompanhar o progresso das metas. Eles são uma tendência que otimizam a gestão do tempo, trazem maior confiabilidade aos dados e diminuem a probabilidade de erro humano. Além de engajar os colaboradores com o processo.

Além disso, auxiliam a visualização e trazem praticidade para a equipe, que pode acessar e atualizar os objetivos, metas ou indicadores de qualquer lugar. Essa transparência também é capaz de melhorar a comunicação e o alinhamento entre os colaboradores e seus objetivos e metas

Na ImpulseUP, por exemplo, existe o módulo de metas, no qual é possível estabelecer metas, atrelá-las a objetivos organizacionais e atualizar constantemente o progresso pessoal e da equipe.

Conclusão

Nesse artigo, você entendeu a diferença entre meta e objetivo, aprendeu como começar a estabelecer metas profissionais e como acompanhar os colaboradores a alcançá-las.

Mencionamos que o método SMART ajuda o estabelecimento de metas eficazes. Então, você pode ler agora nosso texto “Como criar Metas SMART para o time? Confira exemplos!” Nele, você vai encontrar exemplos desse tipo de meta para diversas áreas, como marketing e RH, que podem te ajudar a estabelecer as suas próprias metas. Não deixe de conferir!

Deixe um comentário