Blog ImpulseUP

Como acompanhar e avaliar o comprometimento no trabalho?

Profissionais comprometidos, motivados e com espírito de equipe se destacam no mercado e são requisitados pelas empresas, pois entregam desempenho e resultados mais satisfatórios, e muitas vezes, além do esperado. Por isso, desenvolver uma maneira de acompanhar e avaliar o comprometimento no trabalho é fundamental para analisar a performance dos colaboradores, e a partir daí, traçar ações para aperfeiçoar possíveis pontos de melhoria.

Sem um time realmente comprometido, dificilmente a empresa alcançará os resultados pretendidos, podendo inclusive, ficar atrás de seus concorrentes. Diante disso, torna-se indispensável garantir um alto comprometimento dos colaboradores paramelhor performance organizacional. Dentro desse contexto, o uso das avaliações de desempenho para tomada de decisão, além de outras estratégias tornam-se aliadas ao projeto.

Se interessou? Continue a leitura e saiba como acompanhar essa competência na sua equipe!

Qual a importância do comprometimento no trabalho?

Primeiramente, é importante pontuar que o comprometimento no trabalho deve acometer os dois lados, tanto dos colaboradores quanto da alta gestão. Na prática, imagine trabalhar em uma empresa descompromissada com sua equipe, que não oferece suporte, ajuda, treinamentos, qualidade de vida, e mais: não paga os salários corretamente?! Além de uma péssima imagem no mercado (employer branding), certamente os funcionários não terão qualquer comprometimento ou envolvimento com essa empresa. Inclusive, essa situação também afeta no processo de atração e retenção de talentos, afinal, quando a empresa tem uma má reputação ou imagem empregadora, naturalmente irá perder seus talentos. 

É importante pontuar, no entanto, que o comprometimento é um vínculo afetivo que o colaborador possui com a empresa, e não necessariamente diz respeito à um bom desempenho. Ou seja, o colaborador pode ter um bom desempenho, ter boas competências, saber se comunicar, negociar, etc, e não ter um comprometimento de fato com a empresa. Logo, na primeira oportunidade que surgir, há a possibilidade de ir para uma empresa que, por exemplo, paga mais.

De qualquer forma, sem uma um boa gestão e incentivos ao comprometimento, é bem provável que os colaboradores só pensarão em concretizar a sua tarefa, ir embora e receber o seu pagamento no fim do mês. Infelizmente, essa realidade é mais frequente do que se imagina. De acordo com pesquisas do instituto Gallup, 70% dos empregados não estão engajados com o trabalho e 51%, na realidade, estão procurando outro emprego, onde se sentiriam mais satisfeitos. O que se deve fazer, portanto, é encontrar formas de estimular esse vínculo entre a equipe.

Esta falta de “lealdade” às empresas é muitas vezes, sinal de que a maioria dos profissionais sentem-se desvalorizados nas organizações e não se identificam com elas. Organizações essas que muitas vezes se dizem despreparadas para lidar com a situação. Para se ter um parâmetro, o estudo “Tendências Mundiais para o Capital Humano“ da Deloitte, relata que 60% dos gestores de Recursos Humanos dizem não possuir programas adequados para medir e melhorar o engajamento/comprometimento dos funcionários nas empresas onde atuam. De outro modo, a pesquisa destaca que apenas 13% dos colaboradores estão realmente engajados.

Essa falta de comprometimento gera desgaste de energia, tempo e falta de interesse, o que faz com que o índice de turnover e absenteísmo aumentem gradualmente. Quando os profissionais não estão comprometidos com a empresa ou com o sucesso da equipe, por exemplo, há chances dos seus resultados serem negativos ou que os seus esforços sejam apenas os necessários para que a meta seja cumprida. Daí a importância de se investir em programas e ações que estimulem essa característica na equipe.

Por outro lado, uma equipe realmente comprometida veste a camisa da empresa e está disposta a investir tempo e esforço para superar as expectativas de resultados. Com isso, os diretores certamente se importarão e se responsabilizarão pelo desenvolvimento pessoal e profissional de cada pessoa envolvida. Ou seja, quando há reciprocidade no comprometimento entre a equipe, a organização como um todo consegue se projetar para a conquista de objetivos melhores do que os esperados.

E não para por aí: há ainda benefícios que incluem o relacionamento e a comunicação entre as pessoas que, por sua vez, se tornarão mais transparentes, objetivos e humanizados. Todas as projeções da empresa possivelmente serão alcançadas mais facilmente, e por consequência os benefícios se estenderão mutuamente para empresa e funcionários.

Como acompanhar e avaliar o comprometimento no trabalho?

Dada a importância da gestão dessa competência, é necessário sempre acompanhar como andam os índices de engajamento e comprometimento da equipe, para que assim, a gestão possa traçar ações para melhorar ou desenvolver essa habilidade tão importante para a organização.

Pesquisas internas

Se os colaboradores são de fato comprometidos com a organização, eles terão maiores índices de produtividade, motivação e empenho no trabalho. Ou seja, o desempenho e alcance de metas são apenas consequências do comprometimento.

Para avaliar o comprometimento em si, é preciso rodar pesquisas com escalas próprias para esse fenômeno, sejam formulários, entrevistas, reuniões para obter um panorama geral do comportamento dos colaboradores, dentre outras possibilidades a partir da realidade do colaborador.

A partir daí, teremos um overview do comprometimento de todos os colaboradores e poderemos elaborar ações para aumentar esse comprometimento, como alinhamento de cultura, mudanças ergonômicas, treinamentos, reconhecimentos, ações de engajamento, melhorias na relação e comunicação entre gestor e subordinado etc.

Avaliação De Desempenho

De modo geral, a Avaliação de Desempenho é o processo pelo qual as organizações avaliam o desempenho e desenvolvimento do colaborador. Em outras palavras, é um processo para identificar e analisar o comportamento do colaborador e o quão comprometido ele está com seus afazeres, para então tomar decisões baseadas em dados, sejam voltadas para promoção, reconhecimento, treinamento ou outros projetos do RH.

A partir daí, torna-se possível analisar pontos como comprometimento, vínculo com a empresa, e relacionamento com a equipe e os progressos e limitações a partir da observação diária do comportamento do colaborador.

Afinal, como já foi mencionado anteriormente, o comprometimento refere-se ao vínculo afetivo que o colaborador possui com a empresa, e não necessariamente com um bom desempenho., por isso, Dessa forma, as decisões que são feitas após a avaliação de desempenho, como os novos treinamentos, movimentações e promoções afetam o comprometimento, muito mais do que a avaliação por si só. 

Esse processo é fundamental pois a avaliação de desempenho nas empresas permite conhecer o colaborador e integrá-lo à empresa, fazendo-o sentir-se importante, criando vínculos e fidelidade com a organização. Com os resultados da avaliação, é possível colocar as pessoas certas nos lugares certos, de maneira que suas qualidades sejam melhor aproveitadas pela empresa.

Ao perceber que seus atributos são devidamente aplicados e valorizados, o colaborador será tomado de uma satisfação pessoal. Este, inclusive, é um fator essencial para o comprometimento e engajamento das equipes, que certamente será notado posteriormente.

Metas claras e atingíveis

É comum que muitos profissionais não saibam quais metas o gestor e a empresa esperam que ele alcance, o que pode deixá-los perdidos e sem perspectivas profissionais. Isso faz com que seu comprometimento com a empresa se torne consideravelmente baixo, já que não há sentido ou estímulo profissional que o instigue a chegar em um determinado patamar. Em outras palavras, os colaboradores precisam saber exatamente para onde e como devem ir, afinal, sem objetivos estruturados, ficará difícil mensurar o desempenho dos funcionários e a produtividade da companhia.

Dentro desse contexto, definir metas é uma ótima forma de incentivar e motivar os colaboradores, fazendo com que eles se sintam desafiados e parte do negócio, promovendo ainda a melhoria contínua e o aumento de produtividade da equipe. Afinal, eles se sentirão úteis e valorizados. Além disso, as metas também são uma forma de acompanhar como anda o progresso dessas ações, e como elas estão sendo úteis para melhorar o comprometimento da equipe.

No entanto,é importante definir metas atingíveis. Elas não precisam ser necessariamente simples, mas devem ser possíveis de serem conquistadas. Certamente, com metas alcançáveis seus funcionários poderão se comprometer com seus objetivos, por outro lado, se as metas forem impossíveis de serem cumpridas, prepare-se para ter colaboradores desmotivados e frustrados.

De todo modo, é sempre importante que a empresa passe a recompensar bons resultados e direcionar quem não está conseguindo cumprir com os objetivos. Incentivar o cumprimento por meio de ações internas ajuda a gerar resultados mais positivos e, consequentemente, mais lucro para a organização.

Feedbacks

De fato o comprometimento está ligado ao elo emocional que o colaborador possui com a empresa, e para que esse vínculo seja facilitado é importante adotar a prática do feedback. Isso porque esse tipo de abordagem traz satisfação entre os colaboradores, pois viabiliza o aperfeiçoamento de suas habilidades, o aumento do diálogo entre superiores e subordinados e gera sentimento de pertencimento.

Um feedback construtivo, fornecido de maneira adequada e no tempo correto, tem o poder de uma bússola, que dá a direção que deve-se tomar para atingir o objetivos além de outras vantagens como o aumento significativo da produtividade, qualidade de produtos e serviços prestados, diminuição de custos e do turnover.

A empresa poderá acompanhar o colaborador por meio de feedbacks frequentes a fim de conduzir seu comportamento para atingir um maior índice de comprometimento e compromisso com a organização.

É importante lembrar, no entanto, que o feedback não é apenas focado no resultado, e sim no desenvolvimento. Afinal, seu objetivo principal é apontar determinadas ações, comportamentos, ou tarefas que o colaborador pode melhorar, e posteriormente alcançar o seu potencial máximo.

A partir disso, o colaborador avaliado poderá entender melhor os pontos fortes e de melhoria de suas ações, permitindo a ele realizar os ajustes necessários, além de rever condutas e potencializar o que vem dando certo.

Com isso, os colaboradores ficam mais engajados e motivados, enxergando seus pontos falhos e a partir disso, começam a buscar novos aprendizados e trabalhando em direção ao sucesso contínuo, sem contar a tendência de se comprometer mais com suas tarefas na empresa.

Conte com softwares para medir resultados

Sabemos que trabalhos exclusivamente manuais são suscetíveis a erros, e por isso, uma boa opção seria optar por softwares inteligentes e preparados para seguir comandos específicos, o que evita falhas e resultados com as informações erradas. A partir daí, torna-se mais fácil tomar decisões de forma mais assertivas, o que diminui o risco de problemas e ações ineficazes.

Esta, é uma ótima forma de fazer a própria avaliação de desempenho, afinal, possivelmente será necessário lidar com um grande volume de dados. Com os softwares, será possível facilitar o arquivamento e consulta a essas referências, agilizando todos esses processos. Desse modo, processos que antes, demoravam meses para serem realizados, se tornam práticos e precisos, evitando até mesmo que os profissionais se desgastem. 

Inclusive, o próprio ImpulseUP oferece um modelo ideal para quem procura agilidade e praticidade e deseja medir índices de engajamento como o comprometimento de seus colaboradores. O software oferece Avaliações, PDI, Nine Box, Feedback e diversos relatórios.

Conclusão

Está claro que para que os colaboradores se tornem mais comprometidos com a organização, é fundamental que se desenvolva um maior interesse na organização, entendam melhor seu propósito ali e encontrem valor no trabalho, o que consequentemente irá melhorar seu engajamento e seus resultados.

Daí a importância de avaliar e acompanhar o comprometimento no trabalho. Felizmente, existem ações que podem ser estruturadas na cultura da organização, que são capazes de monitorar e entender como anda esse aspecto entre os funcionários. Ao notar uma falha, o gestor poderá investir a fundo os motivos que levam aquele colaborador à adotar aquele comportamento, e a partir daí, traçar ações para reverter a situação.

No mais, é importante sempre manter uma relação mais humanizada, que criam espaços de convivência e troca de experiências entre os funcionários e dão oportunidades para todos se desenvolverem onde há um melhor desempenho, e que haja maior comprometimento.

Deixe um comentário