Blog ImpulseUP

Futuro do RH: o que podemos esperar para a área?

A tecnologia transforma as relações de trabalho em todas as áreas. Assim, é preciso estar sempre se atualizando e de olho nas tendências e novas possibilidades no mercado. Nesse contexto, você já se perguntou qual será o futuro do RH?

Sabe-se que a forte interação entre pessoas e ambientes digitais já alterou o comportamento humano, isso reflete diretamente na gestão de pessoas no ambiente de trabalho. Neste artigo, você pode conferir quais as principais tendências do RH e o que esperar para os próximos anos.

Orientação por dados

A área de Recursos Humanos está cada vez mais orientada por dados, utilizando recursos que sejam capazes de guiar os gestores na tomada de decisão. A tecnologia possibilitou a coleta, análise e a organização de informações de maneira rápida e dinâmica.

Um exemplo claro é a ferramenta nine box, que possibilita a identificação de colaboradores mais preparados e produtivos. Assim, pode-se pensar em plano de carreira dentro da organização, plano de sucessões e bonificações.

Outra forma de coletar dados para a orientação dos passos do gestor de RH, é realizar a avaliação de desempenho dos funcionários. Com ela, é possível alinhar os objetivos estratégicos da empresa e as metas de aprimoramento de cada funcionário.

Flexibilidade

A nova geração se relaciona de forma diferente com o trabalho e a previsão é que isso se altere ainda mais. Os jovens buscam flexibilidade de horário e priorizam qualidade à quantidade de horas trabalhadas.

Um bom exemplo é a Microsoft. Recentemente, a unidade da empresa no Japão experimentou um modelo de jornada semanal de apenas 4 dias de trabalho. Os resultados foram inspiradores! A redução de carga horária não prejudicou as vendas e nem os outros processos da organização. A produtividade dos funcionários aumentou em 40% comparada ao mesmo período no ano anterior e a satisfação entre os colaboradores ficou acima de 90%.

O velho modelo convencional de trabalho tende a não suprir mais as necessidades dos colaboradores. Por isso, alternativas como trabalho remoto são cada vez mais demandadas. Essas inovações possibilitam ao colaborador se organizar à sua maneira de forma a produzir mais em um tempo menor.

Por isso, medir o desempenho por entregas dentro do período estabelecido é um ótimo mecanismo de avaliação dos funcionários.

Foco no cliente interno

Outro ponto importante é pensar nos funcionários como clientes internos. Assim, é necessário ter melhorias constantes na experiência deles dentro da organização.

A gestão de pessoas do futuro deverá se manter engajada em motivação e incentivo como diferencial estratégico, tendo em vista que a valorização do capital humano e intelectual leva a retenção de talentos.

Pensar em planos de T&D e valorizar a cultura de aprendizagem contínua são boas práticas.

Treinamento e desenvolvimento

Não dá para pensar no sucesso da empresa sem pensar no sucesso das pessoas. Faz parte da gestão de recursos humanos desenvolver os colaboradores e proporcionar a eles formas de crescer dentro da instituições.

É importante aplicar treinamentos institucionais, ou até mesmo específicos para a área de cada equipe. Planos de desenvolvimento individuais e cursos onlines também são alternativas que cativam os funcionários. Esse é um dos passos principais e mais levados em consideração quando se trata de retenção de talento e diminuição nas taxas de turnover.

Bom, o desafio para o futuro do RH é manter a cultura de aprendizagem contínua em empresas cada vez mais diversificadas, com modelos de negócios distintos. Por exemplo, em uma organização com sede no Brasil e funcionários espalhados pelo mundo, como é possível treiná-los e desenvolvê-los?

O ponto chave é utilizar a tecnologia como aliada. Acompanhar periodicamente cada colaborador e utilizar plataformas que permitam a conexão entre eles. Aplicativos de reuniões e treinamentos à distância serão demandados para esse desafio.

Apesar da distância física, o RH precisa estar presente no dia a dia dos funcionários.

Integração das áreas

A tendência é que as áreas da instituição se comuniquem e cresçam juntas. A integração é fundamental para que os gestores participem e acompanhem o desenvolvimento das equipes, tornando a gestão de pessoas cada vez mais estratégica.

Novos modelos de lideranças nas equipes surgem, como a liderança por projeto e organograma horizontal. As empresas precisarão se reinventar e, para isso, é necessário uma organização alinhada como um todo.

Estimular um ambiente tranquilo e de boa convivência ajuda nesse ponto. Uma dica é o uso de gamificação nas atividades desenvolvidas dentro das equipes, seja uma confraternização ou em metas e objetivos das áreas.

A gamificação consiste em utilizar técnicas e elementos de jogos para tornar os membros da empresa mais engajados e mais produtivos.

Fit Cultural

Selecionar pessoas com perfis que se adequem aos objetivos e ao modus operandi da instituição é uma tendência que agrega valor tanto à marca, quanto aos funcionários da organização. Por isso o Fit Cultural tem ganhado força na área.

Os gestores de RH se preocupam cada vez mais em realizar processos seletivos que levem em consideração as habilidades comportamentais dos funcionários, de forma que se encaixem com a gestão da empresa.

Ferramentas de RH

No contexto digital, surgiram ferramentas que auxiliam os profissionais de RH a realizarem atividades rotineiras com mais precisão. Como dito anteriormente, o trabalho guiado por dados, e não por influências pessoais como opiniões, têm sido uma das melhores formas de orientar as demandas de gestão de pessoas.

A automatização de diversos processos ajudam a equipe de RH a focar os esforços no que importa. Assim, é possível planejar a gestão de pessoas em prol de um RH mais estratégico.

Que tal conhecer a ImpulseUP e testar nossa plataforma?

Comentário