Blog ImpulseUP
soft-skills-hard-skills

Soft skills e hard skills: o que são e como usar em avaliações de desempenho

Se você trabalha com recursos humanos, é gestor ou gerente de equipes, provavelmente já se deparou com os conceitos de soft skills ou hard skills. Se nunca ouviu falar, também não tem problema. A gente te explica!

Estar por dentro do que estes termos significam pode garantir processos mais eficientes, tanto no momento de recrutamento e seleção quanto nas avaliações de desempenho dos colaboradores.

O que são?

As hard skills são habilidades mais mensuráveis e que normalmente estão no currículo. Fluência em línguas estrangeiras, domínio de ferramentas, experiências profissionais, intercâmbios, cursos, capacitações em geral.

Por muito tempo, os processos seletivos foram focados nessas experiências do candidato. Hoje, porém, é possível afirmar que as empresas também levam outras questões em consideração. São as chamadas soft skills.

Elas envolvem características relacionadas a como a pessoa age ou interage com outras a sua volta. São habilidades voltadas para a esfera comportamental, social e emocional do candidato.

As soft skills são mais difíceis de serem percebidas, mas são elas quem garantem uma melhor convivência dentro do ambiente de trabalho, por exemplo. É por esse e outros motivos que as empresas têm dado muita importância para identificar essas características.

Qual a importância de observar soft skills?

Quando observamos características dos colaboradores, relacionadas a como eles se comportam no ambiente de trabalho, temos insumos importantes. A depender da posição que um funcionário ocupa, uma postura específica ou atitude pode ser o diferencial para uma conquista importante da instituição.

Habilidades técnicas são mais fáceis de serem ensinadas. Um colaborador que não domina uma ferramenta pode aprender com um curso ou com colegas de equipe. Por sua vez, comportamentos e posturas são mais difíceis de serem alteradas.

Algumas empresas já utilizam dentro do processo de recrutamento e seleção o conceito de fit cultural. Para saber tudo sobre ele, veja nosso artigo. É uma maneira eficiente de assegurar que os contratados combinem com a cultura da empresa.

Observar as soft skills dos colaboradores gera alguns impactos positivos para a instituição. Pode-se destacar:

  • Melhora do ambiente de trabalho;
  • Processos seletivos mais eficientes;
  • Colaboradores e equipes mais satisfeitas e, como consequência direta disso,
  • Projetos conduzidos de forma mais eficiente.

Exemplos de soft skills importantes

É essencial ressaltar, de início, que o grau de importância de uma habilidade varia de acordo com o trabalho desempenhado pelo funcionário. Não adianta definir um grupo de características para serem desenvolvidas se elas não forem compatíveis com o trabalho.

Contudo, existem algumas soft skills importantes para diferentes posições e que podem ser destacadas. Alguns artigos já se dedicam a estudar essa demanda. Na maioria das vezes, elas trabalham juntas. Veja alguns exemplos:

  • Boa comunicação: ter clareza ao passar informações para superiores, colegas de equipes e também para clientes pode ser considerada uma das habilidades mais importantes e valorizadas.
  • Resiliência: o ambiente corporativo se caracteriza, cada vez mais, por ser competitivo. Por essas e outras razões, é positivo quando um colaborador mostra saber trabalhar bem sob pressão e se adapta a diferentes situações com facilidade.
  • Resolução de problemas: um colaborador é muito valorizado quando demonstra que consegue pensar em alternativas para os problemas apresentados e assim otimiza o trabalho da equipe.
  • Relacionamento interpessoal: é muito importante saber lidar tanto com colegas de trabalho quanto com os clientes. Um funcionário atencioso e gentil pode melhorar, e muito, a impressão em um serviço. Dentro dessa habilidade também podemos incluir saber trabalhar em equipe.
  • Inteligência emocional: infelizmente, situações complicadas vão acabar acontecendo. Por isso, é importante saber contorná-las e ver o panorama completo com calma para tomar a decisão mais prudente. A inteligência emocional diz respeito a conseguir identificar as próprias emoções e saber lidar com elas.
  • Empatia: saber se colocar no lugar do outro é essencial para evitar conflitos e pensar no desenvolvimento de cada colaborador.
  • Organização: um ambiente organizado é mais produtivo. Muitos funcionários podem ser bem capacitados mas se atrapalham com as próprias demandas e, assim, não conseguem entregar bons resultados.
  • Ética no trabalho: ter um funcionário ético e que toma as decisões certas é sempre um alívio.
  • Pensamento crítico: quando o colaborador tem a capacidade de pensar de forma independente, pode sugerir melhorias para a instituição e levantar opiniões importantes.

Como aperfeiçoar soft skills?

Criar cultura de feedbacks

Estimular a troca de feedbacks dentro da instituição e acabar com tabus acerca do tema é um passo importante. Assim, os colaboradores vão saber no que precisam melhorar e como o trabalho deles pode ser mais útil.

Estimular potenciais

Reconhecer pequenas conquistas dos colaboradores é essencial para que eles se sintam valorizados e confortáveis para continuar fazendo um bom trabalho. Para aumentar o potencial, podem ser usados treinamentos, cursos, feedbacks ou novas atribuições e desafios.

Para o colaborador: autoconhecimento

Como profissional de RH, é importante que você incentive o crescimento e melhora dos profissionais. O primeiro passo para que eles possam pensar em mudanças é olhar e refletir sobre eles mesmos. O que cada um pode fazer para melhorar as entregas e o desempenho?

Essa reflexão feita de maneira clara e consciente gera um maior autoconhecimento. A partir daí, vale estipular pequenas metas pessoais, como aprender a gerenciar melhor o tempo de trabalho, por exemplo.

Avaliações de desempenho

Uma das formas mais eficazes de medir a performance das equipes é com avaliações de desempenho. Para definir os critérios, usar soft skills importantes para a empresa e para a função específica do colaborador pode ser efetivo.

Desse modo, quem é avaliado pode elaborar planos de ação para melhorar o desempenho e saber, de maneira objetiva, o que precisa ser desenvolvido. Bons feedbacks construtivos também são indispensáveis nessa jornada de crescimento.

Deixe um comentário